Hunter Witches RPG Brasil
Bem Vindo!

Em um mundo aonde uma profecia previu o nascimento de dois gêmeos cujo se confrontariam pelo poder do maior mago existente na história, o planeta terra fora atingido por um feitiço feito por um deles assim ativando poderes ocultos em alguns humanos descendentes de bruxos passados, agora a caçada para guerreiros que possam ajudar ambos os lados se iniciava...

Qual será seu lado ?

Praça Pública

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Praça Pública

Mensagem por Thor em Sab Nov 01, 2014 5:47 pm

Idade :
26

Ver perfil do usuário
here's Thor
avatar

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça Pública

Mensagem por Convidado em Sex Nov 21, 2014 8:53 pm


___________________
Tagged: Brenna Wearing: THIS Soundtrack: Papa Roach - No Matter What Credits Lari @ CG

Andava sem rumo. Não conhecia muito os lugares e não estava nem um pouco afim de ficar na Academia, até porque não havia encontrado meu quarto mesmo. Por fim, decidi ir explorar o local. Era tudo tão... Medieval. Meus passos caminhavam pela praça pública, a movimentação era constante. Sentia falta falta de minha doce Nova Iorque. Minha mão tateou o bolso da minha calça jeans preta, não havia encontrado meu celular. Suspirei e fechei meus olhos com força, será que aqui teria meio de comunicação? Ou o único meio era carta? Deixei isso de lado. Brenna era parecida comigo, estava curiosa para conhecer Lillian e Khristin, me pergunto como meus pais tiveram tanto pique de fazer várias filhos e ainda por cima tudo mulheres. Olhava ao meu redor e via as pessoas ao meu redor se afastarem de mim e depois cochicharem algo. Eu tinha raiva disso, quer falar, fale mas, fale na cara. Respirei profundamente e parei diante de uma criança, ela me encarava e cruzei meus braços com um sorriso maligno nos lábios. - O que foi, pirralho? - Sorria para o garoto que não parecia ter mais do que onze anos de idade. Ele me perguntara se eu era a lunática que queria acabar com Irmadim e que viajou pelo tempo. De certa forma eu era. Arqueei o cenho confusa e abri a boca para responder, mas a mão da criança o puxara para si e me encarou com cara feia e medo. Dizendo a criança para não se aproximar de mim. - Ótimo, agora eu sou a Bruxa Má do Leste. - Soltei o ar com força, sentia minha barriga roncar. Eu não comi nada o dia inteiro e só pensava em encontrar Lee e falar sobre o terrível dia que estava tendo. Esperava que ele me perdoasse por ter deixado esperando e por ter saído para encontrar Diana sem chamá-lo. Nisso conheci o Todo Poderoso e acabei me apaixonando por ele e depois presa. É, um longo dia. Não via a hora de sair da Terra de Oz e ir para a minha Terra, onde tinha Wi-Fi, chuveiro, Céus, como sinto falta de um chuveiro, carros e Starbucks.
here's Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça Pública

Mensagem por Convidado em Seg Nov 24, 2014 12:49 am


I wanna do bad thing with you

As notícias se espalhavam rápido pela Aldeia, ninguém esperava que a alguém fosse romper o véu entre os mundos e que muito menos este alguém seria um total desconhecido. Mas havia aquele desejo, saber sempre mais do que os demais. O homem estava pronto caminhando por entre as vielas de Irmadim, quando ouviu o falatório, e uma palavra se repetia sempre. Roupas estranhas. Seguiu então para a fonte dos burbúrios, e logo percebeu o que estava acontecendo. Uma mulher, não passava dos vinte anos, trajando roupas estranhas e adversar. Sua voz, seu sotaque e ate seu modo de andar eram diferentes do que eles estavam acostumados por ali. O sorriso brotou em seu lábios, se aproximou da mulher enquanto murmurava um feitiço que os fariam ficar invisíveis, sem que ninguém percebesse ele a capturou. Criando uma ilusão em sua mente, a menina veria apenas coisas que há fariam feliz. Loki então pegou em sues braços e seguiu para o círculo branco, o castelo ficava longe de onde estava, mas valeria a pena cada passo dado com a bruxa. Durante todo o caminho, a mente de Loki fervilhava sobre a possíbilidade de conseguir informações.

ENCERRADO PARA LOKI E FAYE
 


Thanks to +Lia at Ops
here's Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça Pública

Mensagem por Convidado em Seg Nov 24, 2014 12:58 am



TURNO ENCERRADO

O turno foi encerrado, todo e qualquer post em continuação a este dia/evento será apagado sem aviso prévio.
O próximo turno se passara em EXATOS um mês após o anterior, então desenvolvam o personagem nesse tempo.
code designed by doll from the pretty odd
here's Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça Pública

Mensagem por Convidado em Seg Nov 24, 2014 11:14 pm

Why??
Com: Willian; humor: Fingindo estar feliz.

Minha cabeça estava latejando e meus olhos lacrimejavam, talvez esse fosse o efeito de usar tanto poder de uma vez só,  as caçadas estavam cada vez mais brutais e até ás coisas mais simples, como conseguir erva para alguma poção estava se transformando em um transtorno ou um grande exercício de paciência, porque com tudo o que estava acontecendo estava mais complicado. Pelo o que havia sido me passado eu deveria ser o mais discreta possível sendo a dama ideal, a filha perfeita e a irmã amorosa, mas tudo isso era um grande sacrifício, há muito tempo eu não tinha mais emoções, mas aparentemente minha família não percebia isso. Quando ainda era criança costumava ter muitos sonhos e a achar que o mundo era belo e que todas as pessoas eram bondosas, mas infelizmente eu descobri que a vida não era assim da pior maneira possível, mas ainda assim acabei achando alguma coisa na qual me segurar.

Mesmo fraca e um pouco tonta, meus passos eram estáveis e controlados, a pior coisa que poderia me acontecer agora era passar mal na rua e chamar a atenção das velhas fofoqueiras que passavam os dias na praça olhando e falando da vida alheia, eu odiava isso, para falar a verdade odiava todas aquelas velhas malditas e se pudesse mataria todas elas com as minhas próprias mãos, mas ao invés disso totalmente contra a minha vontade coloquei o sorriso mais amável no rosto e cumprimentei todas elas com uma reverencia e um pequeno beijo em suas faces de acordo com a etiqueta a minha mãe maldita havia me ensinado. 
Sem mais forças para caminhar, me sentei em um banco na parte mais isolada da praça e peguei um pequeno leque para me abanar, porque se não bastasse a fraqueza o calor estava totalmente infernal e o vestido azul turquesa cheio de rendas e babados não estava ajudando em absolutamente nada a minha respiração. Por isso que preferia a caminhada na floresta, porque lá poderia usar minhas calças e botas e ninguém achava escandaloso e dependendo da pessoa quando me encontrava naquele estado normalmente não saia viva para espalhar a história.
Jogando a cabeça para trás tentei me lembrar da época em que não tinha preocupações, problemas, a época em que minha mãe ainda estava viva e que meu futuro estava traçado de acordo com tudo que imaginei e sonhei. De repente um cansaço tomou conta de todo o meu corpo e quando percebi não mais conseguia manter meus olhos abertos e mesmo lutando para me manter acordada a escuridão tomou conta de tudo ao meu redor.

here's Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça Pública

Mensagem por Convidado em Ter Nov 25, 2014 1:06 am

Fantasmas passados – Cap.1


TAG: Encontro| Com: Kiera| Onde: Praça Pública

Minha vida era realmente uma coisa maluca. Se fosse colocarmos em um papel, daria um conta para bardo nenhum botar defeito. Passei muitas coisas nesta vida, mas não posso dizer que passei fome. Não que minhas condições foram as melhores, muito pelo contrário, ainda mais depois da morte de meu pai e da minha mãe. Mas, quando menos esperamos, a vida nos surpreende. Foi numa noite fria, onde meu estômago já começava a doer que um homem me estendeu a mão. Não era qualquer um, era um guarda real.
 
Com ele eu aprendi muitas coisas, assim como minhas aspirações também mudaram. Até aquela noite eu sonhava em ser como meu pai, seguir cada um de seus passos. Assumir os negócios da família, ser o que podemos chamar de filhinho do papai, cheio de frescuras. Mas esse não era meu destino. Para ser mais exato, minha vida mudou quando conheci Sir Edward, o qual me ensinou tudo o que sei até hoje. Foi ele também quem me criou, me protegeu dos perigos de Irmadin e das garras do meu tio malvado. Com ele aprendi a arte das espadas, o valor da vida. Aprendi a amar aquele lugar e dar valor por cada uma das coisas que conquistava com meus próprios esforços. Sir Edward modelou o meu caráter, tornando-me um homem justo e honesto. Um guarda real assim como ele.
 
Era o meu primeiro dia de folga desde que havia retornado ao meu lugar de direito. Já fazia aproximadamente quinze dias desde que um lobo de pelos brancos e olhos vermelhos tinha o atacado em sua “casa”, rasgando sua garganta sem piedade alguma. Seus homens rodaram por toda Irmadin atrás da criatura, mas ao final não acharam nada. Aliás, claro que não acharia. Eu estava embaixo do nariz dele todo este tempo, exigindo meus direitos como herdeiro. Pobre tolos, não tinha ideia do que havia acontecido. Mas, não deixei que aquilo se estendessem por muito tempo. Não queria aqueles homens a minha volta. Eram criaturas malignas, filhos das sombras. Irmadin precisava se ver livre de magos como eles.
 
O calor era infernal, o que me fez querer dar uma volta pela aldeia. Usava uma camisa de seda branca e uma calça, o que não me deixava nada confortável. Uma bota preta de couro cobria os meus pés, ou seja, eu estava sendo assado pelo sol. A espada mantinha-se presa a minha cintura, uma vez que nunca sabíamos o que poderia nos esperar. Não conhecia muita gente no lugar, por isso meu passeio era um tanto que solitário, ou até mesmo melancólico.
 
Aproximava-me da praça pública quando me deparei com feições conhecidas. Era claro que eu sabia quem era. Kiera jamais havia saído da minha mente, muito menos do meu coração. Tinha em minha cabeça que honraria o meu compromisso e a promessa que meu pai havia feito ao pai dela. Casaríamos e uniríamos as famílias para sempre. Tinha certeza que a garota me esperava, afinal tinha lhe deixado uma carta. Eu a abandonei? Claro que não. Por muitas vezes eu fiquei a olhá-la em meio as sombras, desejando o seu corpo, seus beijos. Mas para o bem de Kiera, era melhor que eu ficasse longe. Tinha medo das ações do meu tio e também meu treinamento como guarda real exigia muito da minha pessoa. Mas, agora era tudo diferente. Estava pronto para recomeçar, para honrar o nosso compromisso.
 
Parei diante do banco, onde fiquei a observá-la por alguns segundos. Estava linda, assim como sempre foi. Seus traços suaves eram perfeitos e suas curvas, ainda eram magnificas. Fiquei em silêncio por alguns segundos, observando o sono profundo de Kiera. Não sabia como ela conseguia dormir, uma vez que o sol era escaldante. Ela também deveria estar com calor, uma vez que segurava leques. Era impossível não tocá-la, queira beijá-la, voltar a sentir o sabor dos seus lábios. Deslizei meus dedos por sua pele macia e suspirei, não sabia se deveria acordá-la, muito menos como reagiria. – Ainda é a garota mais bela de Irmadin! – sussurrei em seu ouvido, esperando que ela reconhecesse a minha voz. Como eu havia prometido em minha carta, havia voltado para os braços da minha garota.
 
 
thanks @LG
here's Convidado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Praça Pública

Mensagem por Conteúdo patrocinado

here's Conteúdo patrocinado

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum